Home > Manuais > Manual do gato > Castrar ou não castrar?  
  Botânica
  Fotos
  Manuais
  Especiais
 

Castrar ou não castrar?

Em minha opinião, sim, quase sempre. A exceção vale para os gatos de raça, cujos filhotes são facilmente vendidos ou dados, pois atraem o interesse das pessoas pela sua beleza. E ainda assim, isso vale só pra criadores, não para quem quer apenas um bichinho de estimação. Mas para os gatinhos vira-latas, a castração é sempre a melhor solução.

Em primeiro lugar, porque evita filhotes. Se você já passou pela experiência de ter uma ninhada de gatinhos em idade de serem adotados e simplesmente não conseguir donos apropriados para eles, sabe do que eu estou falando. É desesperador. Dificilmente as pessoas querem gatos. Quem gosta, já tem. Quem nunca teve, normalmente prefere cachorros, pois não conhece a verdadeira personalidade dos gatos. É difícil convencer as pessoas a adotar o primeiro gatinho. Por isso, castrar é sempre melhor, pois evita o nascimento de novos gatinhos, que muitas vezes vão parar nas ruas, abandonados e sem donos para tomar conta deles.

E mais: acho que todos sabem o transtorno que uma gata no cio pode gerar na vizinhança. Elas miam de uma forma diferente, muito mais alto e estridente do que o normal, para chamar os machos. Estes, por sua vez, arranjam a maior confusão brigando com outros machos que se aproximam, pois eles competem entre si pela fêmea. O miado deles parece com um bebê chorando e é capaz de acordar toda a vizinhança. E isso é péssimo, pois desperta a raiva das pessoas menos compreensivas, dando motivos para estas pessoas colocarem veneno para os bichinhos.

A minha estratégia é castrar os gatos quando atingem em torno de 5 meses de vida. Nesta idade, ainda não atingiram a fase reprodutiva, as fêmeas nunca entraram no cio (o que ocorre por volta dos sete meses) e os machos ainda não saem em busca de fêmeas para cruzar. Com cinco meses, os gatos ainda tem hábitos infantis e não atingiram a estatura de um adulto. Se forem castrados nesta idade, eles ainda não adquiriram os maus hábitos dos adultos, como sair de casa por longos períodos e urinar para marcar território (este último só no caso dos machos). A castração fica mais eficaz, com gatos mais calmos e caseiros.

Quando deixamos para castrá-los mais tarde, a castração também trás benefícios, mas alguns maus hábitos geralmente não são mais eliminados, como se ausentar de casa com freqüência e por longos períodos.

Algumas pessoas acham que é crueldade, mas crueldade mesmo é deixar nascer um monte de filhotes, que acabam nas ruas, sendo maltratados, ou indo parar em abrigos superlotados, onde ficam confinados em espaços pequenos, quase sem perspectiva de serem adotados.

Então, castrar os gatos é a melhor forma de protegê-los, dar a eles uma vida mais tranquila e evitar a superpopulação. Procure um veterinário de sua confiança para realizar o procedimento. Os bons veterinários realizam a cirurgia fazendo, no caso das fêmeas, um corte bem pequeno, de no máximo 1,5 cm na barriga da gata. Este corte cicatriza rápido e, em uma semana, sua gata nem vai lembrar que passou pela cirurgia. Siga à risca as recomendações do veterinário com os cuidados pós-cirúrgicos. Num piscar de olhos e sem traumas, seu bichinho vai estar pronto pra levar uma vida mais feliz.

Veja nossa galeria de fotos de gatos

 

   Termos de uso | Links | A equipe | Contato | |